Dos 346 mil hectares que devem ser cultivados com feijão das águas no Paraná nesta safra, 84 mil hectares já foram semeados. De acordo com técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura, os números indicam que 24, 2% da área destinada ao plantio de feijão já está semeada.

O chefe do Setor de Previsão de Safras, Dirlei Antônio Manfio, disse que a antecipação do plantio da cultura surpreende. Segundo ele, a semeadura do feijão nesta mesma época do ano passado atingia apenas 8,7% da área destinada ao produto. ?Os 24,2% superam até mesmo a média de plantio das últimas seis safras, que foi de 17,6%?, disse.

Na região de Jacarezinho, no Norte do Estado, o plantio de feijão foi adiantado, pelo menos, em 20 dias. Isto, comparado ao mesmo período de 2004. Segundo o economista do Núcleo Regional da Secretaria da Agricultura em Jacarezinho, José Antônio Gervásio, a pressa em plantar o feijão foi uma conseqüência da volta das chuvas na região. ?Na última safra, com a estiagem, muitas áreas por aqui permaneceram sem cultura alguma. Com o fim da seca, os produtores animaram-se e voltaram a plantar feijão?, lembrou.

O produtor Paulo Morozona, de Wenceslau Braz, foi um dos agricultores que decidiram investir na atividade. Ele lembrou que o calor e a umidade favorável contribuíram para que o plantio do feijão das águas fosse efetuado mais cedo este ano.

Milho

As chuvas que ocorreram em todo o Paraná também incentivaram o plantio do milho da primeira safra. Em 2004, nesta época do ano, apenas 4,7% da área destinada à cultura tinha sido semeada. Na safra atual, do 1,35 milhão de hectares, 236 mil hectares já foram plantados. ?Isto significa que 17,5% da área estimada para receber as lavouras de milho já foi semeada?, disse Manfio.

Para a engenheira agrônoma do Deral, Margorete Demarchi, em 2004 a escassez de chuva também atrasou o plantio do milho da primeira safra. ?Atualmente, a situação é bem diferente. As chuvas permitem que os produtores avancem no plantio?, comentou.