A produção industrial da zona do euro caiu 0,2% em março, na comparação com fevereiro, informou hoje a agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. Esta foi a primeira queda do indicador em seis meses e contrariou as estimativas dos economistas, que esperavam um aumento de 0,3%.

Em relação a março do ano passado, a produção industrial da região cresceu 5,3%. Este é o resultado anual mais fraco dos últimos 13 meses e ficou abaixo da previsão de avanço 6,3%. Os dados de fevereiro foram revisados para mostrar alta mensal de 0,6% e anual de 7,7% na produção industrial.

A produção industrial de energia caiu 0,7% em março ante fevereiro, o que representa a terceira queda mensal consecutiva. A produção de bens de capital (máquinas e equipamentos) recuou 0,9%, enquanto a de bens intermediários ficou estável. A produção de bens de consumo duráveis subiu apenas 0,1% e a de bens de consumo não duráveis recuou 0,7%.

De acordo com a Eurostat, o crescimento mensal da produção industrial da Alemanha e da Itália foi de 0,4% em março, ante taxas de 1,6% e 1,5% em fevereiro, respectivamente. Na França, a produção caiu 0,9%.

A produção industrial teve queda de 1,0% na Irlanda e na Espanha e de 0,6% na Grécia. Em Portugal – o terceiro país da zona do euro a pedir ajuda financeira, depois de Grécia e Irlanda -, a produção industrial aumentou 0,4%. As informações são da Dow Jones.