A produção física têxtil caiu 5% em 2014 na comparação com 2013, ao totalizar 2,1 milhões de toneladas produzidas, de acordo com projeção feita pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) e divulgada nesta quinta-feira, 22. Já o segmento de vestuário recuou 2% nesse período, ao somar 6 bilhões de peças produzidas.

As importações totais de têxteis e confecção, por sua vez, tiveram alta de 4,8% em 2014, para US$ 7,081 bilhões. Já as exportações caíram 6,7%, para US$ 1,176 bilhão. Com isso, a balança comercial do setor fechou o ano com déficit de US$ 5,905 bilhões. Os dados não incluem as vendas internas e externas de fibra de algodão.

Apesar do déficit, o faturamento do setor em reais cresceu 3,6% em 2014 ante 2013, ao totalizar R$ 130,2 bilhões. Em dólar, contudo, o faturamento caiu 4,8%, ao somar US$ 55,4 bilhões. Para a conversão, a Abit afirma que levou em conta uma cotação média do dólar do ano passado de R$ 2,35.

Já o investimento do setor têxtil e de confecção totalizou US$ 1,1 bilhão no ano passado, queda de 30% em relação a 2013. A Abit informou ainda que o setor encerrou 2014 com saldo negativo de 20 mil vagas formais fechadas, segundo números do Caged.

2015

A produção física de têxtil deverá aumentar 0,3% em 2015 na comparação com o ano anterior, prevê a Abit. Já o segmento de confecção deve crescer 0,7% nesse período, depois de recuar 2% no ano passado.

As importações totais de têxteis e confecção, por sua vez, deverão aumentar 3,6% em 2015, para US$ 7,34 bilhões, ante US$ 7,081 bilhões no ano passado. Já para as exportações, a Abit projeta alta de 2,7%, ao somar US$ 1,21 bilhão, ante US$ 1,176 bilhão em 2014.

Com o crescimento das vendas externas maior do que as internas, o déficit da balança comercial do setor deve aumentar para US$ 6,13 bilhões em 2015, mais do que os US$ 5,905 bilhões do ano passado. Os dados não incluem as exportações e importações de fibra de algodão.

O faturamento do setor em dólar também deverá recuar para US$ 51,5 bilhões neste ano, cerca de 7% a menos do que os US$ 55,4 bilhões de 2014. Para o saldo de empregos, a Abit estima o fechamento de 4 mil postos formais neste ano, menor que os 20 mil fechados em 2014.