A prisão do diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, não terá qualquer impacto nos atuais programas de resgate de países da zona do euro ou nas decisões que virão a ser tomadas, disse hoje um porta-voz da União Europeia (UE). Os acontecimentos “não terão qualquer impacto nos programas que estão em andamento”, disse o porta-voz do comissário de Assuntos Econômicos e Monetários da União Europeia, Alli Rehn.

Strauss-Kahn foi preso por agressão sexual e tentativa de estupro em Nova York, no fim de semana. Segundo Rehn, os eventos não influenciarão os termos das decisões que deverão ser tomadas na Europa.

O porta-voz disse ainda que a União Europeia, o FMI e o Banco Central Europeu estão fazendo “esforços importantes” para facilitar as condições do empréstimo da Grécia – incluindo mudanças nos vencimentos e nas taxas de juros. O porta-voz afirmou que a reestruturação da dívida da Grécia não está em discussão. As informações são da Dow Jones.