A primeira etapa do leilão A-5 realizado nesta quinta-feira, 30, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e operacionalizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), foi encerrada com aproximadamente 20 minutos após seu início. A sistemática do certame, contudo, não permite saber se houve alguma oferta pela usina hidrelétrica de Itaocara, única a ser leiloada na primeira fase.

A segunda etapa do leilão contempla térmicas a gás natural, carvão e biomassa, além de pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e hidrelétricas com capacidade entre 30 MW e 50 MW. O preço-teto estabelecido pela Aneel para a energia a ser gerada pelas térmicas ficou em R$ 281/MWh. No caso das hidrelétricas, exceção a Itaocara, o valor máximo a ser proposto pelos geradores deve ser de R$ 210/MWh. O preço de Itaocara foi estabelecido em R$ 155/MWh.

Os produtos ofertados no leilão de hoje serão contratos de 30 anos, na modalidade quantidade, para empreendimentos hidrelétricos, e de 25 anos, na modalidade disponibilidade, paras as térmicas.

Foram habilitados para o certame um total de 50 projetos, dentre os quais sete térmicas a gás natural, duas térmicas a carvão, 13 térmicas a biomassa, 25 pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), duas hidrelétricas com capacidade entre 30 MW e 50 MW e a usina de Itaocara, no Rio de Janeiro. Os projetos com energia contratada devem iniciar o fornecimento de energia em 1º de janeiro de 2020.