O primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, enfrenta uma pressão crescente do partido socialista, do qual faz parte, para reestruturar seu gabinete, em um esforço para diluir o descontentamento público diante das novas medidas de austeridade que o governo terá que implementar. O líder do partido e um ministro disseram que a sobrevivência do governo pode depender de uma mudança nos principais cargos do governo após a votação das novas medidas de austeridade pelo Parlamento, no fim deste mês.

As manifestações nas ruas contra os cortes nos gastos têm aumentado, em meio à pior crise econômica da história recente do país. Pessoas familiarizadas com o governo estão preocupadas com a erosão do apoio público às reformas. Uma greve nacional está marcada para amanhã.

Uma pesquisa nacional divulgada ontem pelo jornal Kathimerini mostrou que o apoio ao partido socialista PASOK, de Papandreou, é menor que ao partido conservador Nova Democracia pela primeira vez desde as eleições de 2009. As pressões para a substituição do ministro das Finanças, George Papaconstantinou, são particularmente fortes, segundo as fontes.

Se fosse substituído, ele receberia outro posto no gabinete ou deixaria o governo. As fontes dizem que Lucas Papademos, ex-vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), tem sido considerado um potencial substituto para Papaconstantinou. As informações são da Dow Jones.