O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos subiu 0,2% em maio, na comparação com abril, em base sazonalmente ajustada, informou hoje o Departamento do Trabalho do país. O aumento foi o menor em 10 meses e ficou levemente acima da previsão dos economistas, que era de 0,1%. Em abril, o PPI havia subido 0,8%.

O núcleo do PPI – que exclui itens voláteis como alimentos e energia e é considerado um indicador de inflação mais confiável – aumentou 0,2% em maio ante abril, em linha com o esperado. Em relação a maio do ano passado, o núcleo do PPI aumentou 2,1%. O índice cheio subiu 7,3% no ano, refletindo os efeitos do avanço dos preços do petróleo.

A desaceleração mensal do PPI foi resultado de uma queda nos custos dos alimentos e de um crescimento menor dos preços da energia. Os preços dos alimentos recuaram 1,4% em maio e os da energia cresceram 1,5%, em comparação com a alta de 2,5% de abril.

Os preços da gasolina subiram 2,7%, correspondendo a três quartos do avanço do PPI. Mas o aumento em abril e março haviam sido bem maiores. Os preços dos automóveis tiveram alta de 0,5%, mas os de caminhões leves diminuíram 0,6%. Os preços das matérias-primas caíram 4,1% em maio ante abril, o maior declínio desde julho de 2009. Os preços intermediários subiram 0,9%. As informações são da Dow Jones.