O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) ficou em 0,44% na primeira prévia de agosto ante 0,53% da pesquisa anterior. Foi a menor alta desde a terceira semana de março deste ano (0,23%).

Como nos demais índices inflacionários, o IPC-S mostra uma acomodação nos preços dos alimentos que na média estão subindo menos (0,40%), abaixo da metade da pesquisa encerrada em 31 de julho (0,83%). O levantamento mostra que houve queda no ritmo de correções de preços em 12 dos 21 itens pesquisados, entre eles o arroz e o feijão, que passaram de uma alta de 2,29% para 0,59%. As carnes bovinas tiveram elevação de 1,79% ante uma alta anterior de 3,39% .

As hortaliças apresentaram recuos maiores (-2,80%) ante o resultado anterior (-1,66%). Entre os produtos hortifrutigranjeiros as maiores quedas foram: melão (-25,89% ante -17,73%); beterraba (-13,90%) ante -12,59%), batata inglesa (-7,47% ante -6,06%), banana prata (-5,90% ante -7,26%) e o alface (4,90% ante -4,43%). Os laticínios avançaram em apenas 0 12% ante 0,88%.

Nos grupos saúde e despesas pessoais, as taxas pularam da alta de 0,69% para 0,61%; em despesas diversas, ( 0,43% para 0,41%); educação, leitura e recreação (0,22% para 0,21%). Houve movimento em sentido oposto em habitação (0,59% para 0,70%); em vestuário (-0,54% para -0,33%) e transportes (0,19% para 0,21%).