O preço do álcool vendido nos postos brasileiros caiu 2,85% na semana passada, segundo a pesquisa semanal de preços da Agência Nacional do Petróleo (ANP). A redução acompanha, ainda que em ritmo mais lento, a queda da cotação do combustível nas usinas de São Paulo, que já acumula 38,3% desde a máxima do ano, no final de março. Nos postos paulistas, o álcool hidratado foi vendido, na semana passada, a um preço 2,76% menor do que o registrado na semana anterior.

De acordo com a ANP, o litro do álcool foi vendido, em média no Brasil, a R$ 1,586 na última semana. O valor é 6,67% menor do que o cobrado um mês atrás. Em São Paulo, o preço de venda chegou a R$ 1,372 por litro, o que representa uma queda de 5,89% com relação ao valor vigente há um mês. O preço do combustível registrou o pico anual em meados de maio, ainda sob os efeitos da entressafra na produção de cana-de-açúcar.

Agora, depois do início da colheita, as cotações vêm despencando nas usinas de São Paulo. Segundo dados do Centro Avançado em Pesquisa Econômica Aplicada da USP (Cepea), o litro do álcool hidratado na produção atingiu a média de R$ 0,594 na última semana. O valor é praticamente o mesmo dos R$ 0,598 cobrados na semana anterior, mas representa uma queda de 38,3% com relação ao vigente na semana terminada em 30 de março, maior cotação do ano.

O álcool anidro, que é misturado à gasolina, vem caindo em ritmo semelhante a do hidratado. De acordo com o Cepea, o combustível foi vendido pelas usinas a um preço médio de R$ 0,686 por litro na última semana, uma queda de 2,7% com relação à cotação da semana anterior. Na comparação com a máxima do ano, atingida em meados de abril, a queda acumulada chega a 37,1%.

Gasolina

A redução no preço do álcool anidro, no entanto, ainda não teve grande impacto no preço da gasolina vendida nos postos, cuja fórmula hoje é composta por 77% de gasolina pura e 23% de álcool anidro. Segundo a ANP, a gasolina custava, na semana passada, R$ 2,526, em média, no País. O valor é apenas 0,27% menor do que o registrado há um mês. Em São Paulo, o ritmo é semelhante: o preço vigente na semana passada, de R$ 2,426 por litro, é apenas 0,32% inferior ao verificado pela agência em meados de maio.

A queda do preço do álcool nas usinas é comum nesta época do ano quando os estoques começam a ser renovados por combustível proveniente da nova safra. Com o objetivo de evitar grandes oscilações, o governo estuda aumentar para 25% o porcentual de álcool anidro na gasolina, ampliando, assim, a demanda pelo combustível. No começo do ano, quando as cotações dispararam, o movimento foi inverso: o porcentual de anidro na gasolina foi reduzido para 20% em fevereiro, a fim de evitar problemas de abastecimento.