O preço médio anunciado dos imóveis, sobretudo usados, subiu menos que a inflação oficial no primeiro semestre. Segundo o Índice FipeZap Ampliado, elaborado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, de janeiro a junho, a variação do preço médio do metro quadrado nas 16 cidades pesquisadas foi de 3,49%. Se descontada a inflação (IPCA) prevista para o período, no entanto, houve queda de 0,19% nos preços.

“A alta do metro quadrado no primeiro semestre do ano passado havia sido de 6,1% – quase o dobro do que foi observado neste ano”, diz o coordenador do Índice FipeZap, Eduardo Zylberstajn. “Essa é a nova realidade imobiliária – um mercado com preços bem mais próximos à estabilidade.”

Em junho, o preço médio do metro quadrado nas 16 cidades pesquisadas teve alta de 0,5% – acima da inflação prevista para o mês, segundo o boletim Focus, do Banco Central, de 0,34%. Contudo, foi a sétima vez seguida que o indicador desacelerou na variação anual – a alta foi de 10,9% em comparação a junho de 2013.

No mês passado, 5 cidades das 16 avaliadas tiveram queda nominal no preço médio: Brasília (-0,18%), Curitiba (-0,51%), Vila Velha (-0,21%), Santo André (-0,25%) e São Bernardo do Campo (-0,25%).

O Rio de Janeiro teve alta de 0,37%, que é, no entanto, a menor variação mensal desde março de 2008. “No Rio, tivemos uma alta de preços praticamente em linha com a inflação do mês. É o menor valor desde que começamos a acompanhar essa cidade”, afirma Zylberstajn.

Para o coordenador, essa desaceleração do mercado deve-se a dois fatores: de, um lado uma inflação notadamente mais alta; de outro, o aumento de preços de fato perdendo fôlego. Ele evita fazer previsões para o próximo semestre, mas aposta na continuidade da tendência de desaceleração.

No recorte detalhado por cidade, o metro quadrado mais caro continua sendo no Rio de Janeiro, com o teto no Leblon (R$ 22.483). São Paulo, por sua vez ultrapassou Brasília e aparece com o segundo maior preço anunciado. O metro quadrado mais salgado na capital paulista está em Vila Nova Conceição (R$ 13.967 ). Nas 16 cidades pesquisadas, a média foi de R$ 7.531. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.