Allan Costa Pinto
Sindicalista defende correção.

Motoristas de Curitiba e região já podem preparar o bolso para o aumento do preço da gasolina, previsto pelo Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis (Sindicombustíveis-PR) após o governo federal confirmar que o valor dos combustíveis está defasado no País. A previsão é que o aumento será de 7% em todo território nacional. O governo também planeja aumentar o preço do óleo diesel em 4% ou 5%.

Segundo Roberto Fregonese, presidente do Sindicombustíveis-PR, a projeção é que o preço da gasolina na capital e região aumente até R$ 0,19 por litro, passando dos atuais R$ 2,79 a R$ 2,89 para R$ 2,98 a R$ 3,08 – e o do óleo diesel até R$ 0,10. “Trata-se de reajuste inevitável. Atualmente há defasagem de 25 dólares do barril no exterior e o valor vendido pela Petrobrás no nosso mercado. Se formos calcular por litro, o prejuízo médio é de R$ 0,30. Então está mais do que na hora desse reajuste”, afirma

Ainda segundo Fregonese, a data do reajuste não está definida. “Tudo depende da decisão do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Pode ser amanhã, semana que vem ou daqui a um mês. Mas acredito que esse aumento será avisado com antecedência aos consumidores”, diz. Em novembro, por conta própria, os postos de Curitiba e municípios vizinhos reajustaram os valores dos combustíveis em até R$ 0,50. O caráter abusivo da alta repentina motivou até multa de R$ 1,2 milhão do Procon e do Ministério Público ao Sindicombustíveis-PR.

Mistura

No início da tarde de ontem, a Agência Nacional do Petróleo confirmou que o percentual de etanol na gasolina passará de 20% para 25% no final da safra da cana-de-açúcar, possivelmente em abril. Diante disso, Fregonese acredita que o etanol tornará mais competitivo a partir do mês de maio, durante o auge da safra de cana em todo o País. “Com essa confirmação da ANP do aumento do percentual de álcool na gasolina, acredito que no final do primeiro semestre teremos preços melhores da gasolina e etanol mais competitivo no mercado, já que estaremos em plena safra de cana”, explica.

Reserva

A diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo, Magda Chambriard, afirmou, ontem, que as reservas de petróleo do Brasil vão dobrar em 10 anos, e que o país poderá exportar 1,5 milhão de barris do produto por dia. Ela confirmou ainda a realização de rodada de leilões para exploração de gás em terra neste ano. Segundo disse, as reservas brasileiras de xisto são importantes demais para ser desprezadas. Magda disse que a realização do leilão foi um pedido da presidente Dilma Rousseff.