A economia dos Estados Unidos acelerou-se durante o verão (no Hemisfério Norte), apesar do aprofundamento da retração da atividade no setor imobiliário, que foi minimizada pelo aumento das exportações e dos gastos dos consumidores. Segundo a primeira prévia divulgada pelo Departamento do Comércio, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu à taxa anualizada, sazonalmente ajustada, de 3,9% no período entre julho e setembro. No segundo trimestre, a economia registrou expansão de 3,8%, depois de crescer apenas 0,6% no primeiro trimestre.

O Departamento do Comércio também informou que o índice de gastos com consumo pessoal (PCE) desacelerou, ao subir 1,7% no terceiro trimestre, variação inferior à de 4,3% do trimestre anterior. No entanto, o núcleo do índice, que exclui preços de alimentos e energia, acelerou e subiu 1,8% no terceiro trimestre após o aumento de 1,4% no trimestre anterior.

O índice de preços de compras domésticas brutas, que mede os preços pagos por residentes norte-americanos, subiu 1,6% no terceiro trimestre, abaixo da alta de 3,8% do trimestre anterior.

Mão-de-obra

O Departamento do Trabalho norte-americano informou que o custo da mão-de-obra subiu 0,9% no terceiro trimestre ante o trimestre anterior, depois de aumentar também 0,9% no segundo trimestre. Economistas previam alta de 0,9%. Já o índice de salários e rendimentos cresceu 0,8% no trimestre, mesma variação apresentada pelo índice de custos dos benefícios. As informações são da Dow Jones.