A notícia de que a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) irá realizar um leilão para a exploração de reservas marginais não chega a animar as petroleiras de pequeno e médio porte. Embora a intenção da agência seja atrair essas petroleiras, conhecidas como independentes, a posição do presidente da Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Petróleo e Gás Natural (Abpip), Frederico Macedo, é que iniciativa semelhante já foi experimentada pela agência no passado, sem sucesso.

Na época, as áreas foram consideradas inapropriadas, mesmo para empresas de menor porte. Com isso, não houve interesse pelos blocos e o leilão acabou sendo suspenso. Desta vez, as empresas irão se debruçar sobre as informações das áreas que serão disponibilizadas para, nos próximos dias, ter uma posição mais clara sobre o interesse no leilão.

A grande reivindicação das petroleiras independentes, na verdade, é pela liberação de reservas marginais que estão com a Petrobras. Mas ainda que a estatal esteja focada, atualmente, em desenvolver o pré-sal, não avançou em nada a negociação com a companhia pela liberação dessas áreas, segundo Macedo.