O direto financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, confirmou nesta terça-feira (12) que a Bolívia depositou o pagamento da primeira parcela, de US$ 56 milhões, referente à compra das duas refinarias operadas pela empresa naquele país. As usinas foram vendidas à estatal boliviana YPFB por US$ 112 milhões, dentro do processo de nacionalização do setor de petróleo e gás no país.

O executivo disse ainda que o governo boliviano solicitou mais prazo para que o controle das duas refinarias passe da Petrobras para a YPFB. O prazo inicial previa que a transferência ocorreria até hoje. Barbassa disse que não há um novo prazo para que a Bolívia assuma as duas unidades.

Ele não detalhou a razão do atraso "por ser um pedido do governo boliviano e não haver motivos do lado brasileiro". Segundo a Agência Boliviana de Informações (ABI), a razão da demora seria a dificuldade da YPFB para encontrar seguradoras para os ativos.