A retração da indústria no mês passado influenciou negativamente a perspectiva dos empresários do setor em relação às exportações, segundo a Sondagem Industrial divulgada hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Eles seguem otimistas, porém, em relação à demanda para os próximos seis meses, aos números de empregados nas companhias e às compras de matérias-primas, que subiram em julho na comparação com o mês passado.

A estimativa dos industriais para as exportações passou de 50,4 pontos em junho para 48 pontos em julho. “O pessimismo voltou a predominar com relação às exportações industriais”, trouxe o documento da CNI. O indicador voltou a ficar abaixo da linha divisória dos 50 pontos.

As perspectivas relativas à demanda para os próximos seis meses permanecem otimistas, passando de 61,6 pontos no mês passado para 61,9 pontos este mês. O indicador segue acima da média histórica de 59,9 pontos calculada pela entidade representativa dos industriais. “Ressalte-se, contudo, que o índice está 1,6 ponto abaixo do registrado em julho de 2010”, considerou a CNI.

Em relação ao quadro de pessoal, o indicador apresentou leve alta este mês em relação a junho, passando de 54 pontos para 54,2 pontos. “Os empresários mostram, em julho, o mesmo otimismo do mês anterior com relação à evolução futura do número de empregados”, trouxe o documento da CNI. No caso das encomendas, a elevação foi de 58 pontos em junho para 58,2 pontos este mês.