A maioria dos economistas ainda espera que o Federal Reserve eleve a taxa de juros de curto prazo neste ano, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Wall Street Journal. Cerca de 64% dos que responderam à consulta disseram acreditar que a reunião dos dias 15 e 16 de dezembro terminará com a primeira alta dos juros em quase uma década.

“O Federal Reserve expressou o desejo de começar a elevar os juros até o fim deste ano e isso provavelmente vai acontecer na reunião de dezembro”, afirmou Chad Moutray, economista-chefe da Associação Nacional das Manufatureiras. “Até lá, esperamos ter sinais suficientes de melhora na fraqueza atual”, disse.

Apenas dois meses atrás, 82% dos economistas consultados previam que o banco central dos EUA elevaria os juros em setembro. Porém, nas semanas seguintes os mercados de ações despencaram e uma série de indicadores em outros países mostrou que a economia global estava perdendo força. Com isso, na reunião de setembro o Fed manteve os juros e citou o risco de “acontecimentos econômicos e financeiros globais conterem a atividade econômica” e pressionar a inflação nos EUA ainda mais para baixo.

“A chance em 2015 ainda é maior do que os mercados financeiros sugerem, mas é uma decisão difícil”, disse Diane Swonk, economista-chefe da Mesirow Financial.

O Fed se reunirá novamente em 27 e 28 de outubro. Os economistas não acreditam que o banco central terá confirmação até lá de que os temores que tinham em setembro já não serão justificáveis. Apenas um dos 64 economistas ouvidos prevê um aumento dos juros na reunião deste mês: Ram Bhagavatula, da Combinatorics Capital.

A pesquisa do WSJ mostrou que 23% dos economistas acha que o Fed vai esperar até março para elevar os juros.

Entrevista

Os dirigentes do Fed usaram diversas vezes a frase “toda reunião é uma reunião ativa”, o que significa que em qualquer encontro do Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc) os juros de curto prazo podem ser elevados. No entanto, a maioria dos economistas não acredita nisso.

Dos 64 consultados pela pesquisa, apenas cinco – menos de 10% – creem que o Fed elevará os juros pela primeira vez em uma reunião que não seja seguida por uma entrevista de Yellen à imprensa. O banco central dos EUA terá mais duas reuniões neste ano, uma no fim de outubro e outra em dezembro e a de outubro não será acompanhada de entrevista. Fonte: Dow Jones Newswires.