O gerente executivo da Unidade de Política Econômica da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Flávio Castelo Branco, afirmou nesta quinta-feira, 22, que a redução na estimativa de investimentos do setor produtivo para 2015, em relação ao projetado para 2014, pode ter impacto no mercado de trabalho. “As perspectivas não são favoráveis”, disse. “Claro que o mercado de trabalho vai sentir os efeitos da atividade mais fraca em 2015”, afirmou.

De acordo com Castelo Branco, os “resultados recorrentes em queda” da indústria já têm se refletido no nível de emprego e isso deve se manter. “Para 2015, estávamos em dezembro (de 2014), com a expectativa de crescimento da economia e da indústria também”, observou. “O início de 2015 está sendo bastante difícil”, disse.

Ele avaliou que o quadro de recessão previsto para o início deste ano chegou primeiro na indústria, que vem perdendo força e demitindo desde de 2014. “Na verdade, o setor industrial já foi à recessão em 2014, quando o PIB da indústria caiu”, avaliou.

Castelo Branco disse que a CNI está revisando indicadores sobre o desempenho da indústria em 2015. As novas projeções devem ser apresentadas até o final de fevereiro. “Estamos fazendo a revisão dos números. O ano está sendo de mais dificuldade do que a gente esperava e isso vai se refletir na dificuldade do mercado produtivo”, disse.