Araçatuba – Parmalat Brasil vai fechar maio com faturamento 35% superior ao de abril, informou ontem seu presidente, Nelson Sampaio Bastos. O crescimento é reflexo da retomada dos níveis de produção e agora a Parmalat brasileira quer retomar, até o fim de 2004, a posição de mercado anterior ao início da crise da matriz italiana.

A volta da normalidade institucional, com a troca de 31 diretores-executivos do Conselho Administrativo foi, na opinião de Bastos, a alavanca da recuperação que permitirá à empresa fechar 2004 com equilíbrio e negociação de dívidas bancárias de US$ 163 milhões e não-bancárias de R$ 120 milhões. Segundo Bastos, a Parmalat Brasil teve, em abril, faturamento 30% superior a março.

A recuperação se deve, segundo ele, principalmente à retomada da produção de leite. No auge da crise, a Parmalat produzia menos de 9 milhões de litros por dia. A média neste mês é de 15 milhões e deve terminar o ano com 30 milhões de litros por dia. O leite representa 50% da receita da empresa.

O próximo passo é recuperar a unidade de Itaperuna (RJ), sob intervenção do governo estadual. “Não podemos responder pela administração daquela unidade”, disse Bastos, que se reuniu ontem com representantes da administração da fábrica.