Seguindo os números recorde do emprego no País, o Paraná também obteve um significativo saldo de vagas formais de trabalho, em março. Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados ontem pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o Estado criou, no mês passado, 23.197 empregos com carteira assinada e aumentou em 1,04% o estoque de trabalhadores assalariados. Considerando os meses de março, o desempenho só não é inferior ao de 2008, quando o saldo de admissões menos demissões passou de 25 mil.

No primeiro trimestre do ano, o saldo de empregos aumentou, no Paraná, em 50.818 postos (2,31%). O desempenho é o segundo melhor para os três primeiros meses, desde o início da pesquisa, e também foi superado pelos números de 2008, quando o número de novas vagas foi superior a 52 mil.

O saldo do primeiro trimestre do ano não foi, no entanto, o maior da Região Sul. No Rio Grande do Sul, foram criados 66.849 postos no período. Já nos últimos 12 meses, o crescimento no nível de emprego foi de 4,89%, ou 104.974 postos de trabalho.

As principais contribuições para o resultado de março, no Paraná, vieram de setores como a indústria de transformação (7.671 postos), serviços (7.075), construção civil (3.183), comércio (3.035) e agropecuária (2.112).

Cidades

Na Região Metropolitana de Curitiba, o número de postos de trabalho criados no mês passado somou 11.156, o que aumentou em 1,12% o estoque de trabalhadores nesses municípios.

O desempenho foi o melhor de toda a série histórica do Caged para os meses de março. Na capital paranaense, os números também foram bons: 6.471 novas vagas, que resultaram em um acréscimo de 1,02% no número total de trabalhadores empregados.

Outros quatro municípios da Região Metropolitana São José dos Pinhais (876 vagas), Pinhais (669), Araucária (591) e Piraquara (319) ficaram entre os 10 locais que mais geraram empregos no Paraná.

Porém, depois de Curitiba, o melhor saldo ficou com Londrina (1.126), seguida de Cascavel (940). Maringá (793) ficou na quinta posição, Ponta Grossa (638) na sétima e Foz do Iguaçu (305) na décima. A pesquisa considera apenas os municípios com mais de 30 mil habitantes.

Nacional

O Ministro do Trabalho, Carlos Lupi, anunciou os números nacionais do Caged, ontem. Segundo ele, o saldo líquido de empregos criados com carteira assinada no País, em março, foi de 266.415. Isso representa um novo recorde para o mês.

A marca anterior para o meses de março foi obtida em 2008 (206.556 vagas). No acumulado do primeiro trimestre de 2010, foram criados 657.259 postos de trabalho. Esse resultado, segundo o Caged, também é o melhor desempenho da série histórica para o período.

O setor que mais influenciou nos números de março e do primeiros três meses do ano foi o de serviços, que criou 106.395 vagas no mês e 249.891 no trimestre. Em seguida, veio a indústria, que contribuiu com 72.440 novos postos em março, e 204.384 no ano.

O maior crescimento, no entanto, veio da construção civil. Com 38.629 empregos criados no mês passado, e 127.694 novas vagas no primeiro trimestre, a atividade aumentou suas vagas em 1,64% e 5,64%, respectivamente.