O Paraná registrou queda de 0,4% no volume de vendas no comércio varejista referente ao mês de março. Apesar do índice negativo, a variação acumulada no ano está em 3,1%; e em 6,8% no acumulado de doze meses. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na Pesquisa Mensal do Comércio.

Os grupos que impactaram nesta redução foram Combustíveis e lubrificantes (-6%), Hipermercados, alimentos e bebidas (-0,5%), Tecidos, vestuário e calçados (-3%), Livros, jornais e revistas (-12,1%), Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-22,3%) e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-3,5%).

Por outro lado, apenas dois grupos tiveram desempenho positivo em março: Móveis e eletrodomésticos (6,4%) e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (14,9%).  Em janeiro o volume de vendas chegou a 4,3%, e em fevereiro 5,6%. A maior variação foi registrada no estado de Tocantins, com 16,5%, seguido de Roraima, com 14,6% e Paraíba, com 11%.

Nacional

As vendas do comércio varejista subiram 1,2% em março ante fevereiro, na série com ajuste sazonal, informou o IBGE. O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas, que esperavam uma expansão de 0,50% a 2,60%. A mediana das previsões apontava alta de 1,30%.

Na comparação com março do ano passado, as vendas do varejo tiveram alta de 4,1% em março deste ano. Neste caso, as projeções apontavam alta de 2,30% a 6,80%, com mediana de 4,50%. Até março, as vendas do setor acumulam altas de 6,90% no ano e de 9,50% nos últimos 12 meses.