O Paraná foi o estado que apresentou o maior crescimento em arrecadação de tributos e contribuições federais em janeiro. A informação foi prestada nesta quarta-feira (13) pelo superintendente da Receita Federal – 9ª Região Fiscal, Luiz Bernardi, que atribuiu o crescimento de 33% ao ?desempenho extraordinário da economia paranaense neste início de ano?.

No mês, o Paraná arrecadou R$ 2,132 bilhão em impostos federais, contra R$ 1,606 bilhão no mesmo período de 2007. Paraná e Minas Gerais tiveram crescimento idêntico. Logo em seguida, aparecem Rio de Janeiro (22%), Rio Grande do Sul (19%), São Paulo (18%) e Bahia (14%).

?Já a região que envolve Brasília, Distrito Federal, Goiás, Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, a arrecadação teve uma queda de 9%?, destacou Bernardi.

Relatório divulgado pela Superintendência Regional da Receita Federal mostra que a arrecadação no Paraná vem crescendo nos últimos anos e fechou o ano de 2007 com R$ 19,26 bilhões, 25% a mais do que em 2006 (R$ 15,43 bilhões). O crescimento nacional foi de 16%. No mês de dezembro de 2007, o Estado arrecadou R$ 1,97 bilhão ou 20% a mais que no mesmo período de 2006 (R$ 1,64 bilhão).

Para o superintendente Luiz Bernardi, dois fatores foram determinantes para o crescimento da arrecadação de impostos e contribuições federais no Paraná. ?Em primeiro lugar, o desempenho da economia paranaense. Os indicadores industriais são expressivos. O setor primário avança e desenvolve toda cadeia econômica. O agricultor vende a safra, compra bens de consumo e duráveis e faz com que o setor terciário ? comércio e serviço ? també tenha um desempenho significativo. Além do mais, estamos tendo um fluxo turístico extraordinário, especialmente em Foz do Iguaçu?.

Outro fator que contribuiu para o crescimento da arrecadação no Estado, segundo Luiz Bernardi, foi a ?presença fiscal da Receita Federal, coibindo os descaminhos e efetuando cobranças, elevando o cumprimento voluntário da receita?. A Receita Federal encerrou o ano de 2007 com 1.615 ações de fiscalização no Paraná, que geraram autos de infração que totalizaram R$ 1,79 bilhão.

O mesmo relatório revela que aumentou também o valor das mercadorias estrangeiras trazidas para o país de forma irregular e apreendidas no Estado. No total, em 2007, foram registrados US$ 114,82 milhões em apreensões ? um acréscimo de 7% em relação ao ano de 2006, que registrou US$ 107 milhões. Cigarros, equipamentos de informática, eletrônicos, brinquedos, bebidas e veículos são maioria entre as mercadorias apreendidas. A Receita apreendeu durante todo o ano, 4.373 veículos.