“O Paraná está mantendo o ritmo de criação de mais de 200 novas empresas por dia útil neste ano, o que demonstra que a economia do Estado tem fundamentos fortes e uma política de estímulo empresarial eficiente”, afirmou nesta terça-feira (14) o presidente da Junta Comercial do Paraná, Júlio Maito Filho.

Só no primeiro trimestre deste ano, foram registradas 13.517 novas empresas em todo Estado, sendo que 70% estão localizadas no interior e o restante na região metropolitana de Curitiba.

Segundo Júlio Maito Filho, o Paraná situa-se como o terceiro estado brasileiro na criação de novas empresas, ficando atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais, com maior peso populacional.

“Esses números de janeiro a março são importantes porque sinalizam que, apesar da crise global, a economia paranaense está respondendo bem a política fiscal e tributária do Governo do Estado”.

Prestígio

A gestão administrativa da Junta Comercial do Paraná é considerada exemplar pelas demais congêneres brasileiras, razão que levou a Associação Nacional dos Presidentes de Juntas Comerciais – Anprej – a reeleger Júlio Maito Filho para mais um período como presidente da entidade.

A Anprej estará reunida em Foz do Iguaçu, de 24 a 26 de junho próximo, para formalizar e padronizar os procedimentos legais a serem adotados para a inscrição dos Micro Empreendedores Individuais – MEI.

O novo ordenamento jurídico, estabelecido pela Lei Complementar 128, vai tirar da informalidade mais de 10 milhões de brasileiros, que exercem atividades autônomas.

Segundo o presidente Júlio Maito Filho, a previsão para o cadastramento e legalização dos micro empreendedores no Paraná é de 500.000 nos próximos três anos.

“Isso vai tirar da informalidade e até da clandestinidade gente que trabalha muito e que encontramos nas ruas mantendo pequenos comércios ou prestando serviços e que agora, sem burocracias ou tributos – pois a contribuição é mínima dirigida quase toda a Previdência Social para amparo de saúde e aposentadoria – vão ser empreendedores, com nome e sobrenome, com possibilidades de terem créditos e financiamentos especiais e ainda desenvolverem-se como empreendedores e cidadãos”, afirma.