Foto: SECS
Pessuti: projetos para fortalecer a agricultura orgânica.

O governador em exercício Orlando Pessuti reforçou ontem, durante abertura do II Paraná Orgânico, a intenção do governo do Estado em fortalecer a agricultura orgânica no Paraná, como uma atividade rentável. O Estado já é o segundo produtor nacional, com 4 mil agricultores, responsáveis pela produção de 78 mil toneladas e plantio de 11.530 hectares. O Paraná se destaca na produção de soja orgânica, cana-de-açúcar para fabricação de açúcar mascavo e cachaça orgânica, mandioca, frutas e hortaliças.

O compromisso do governo com a agroecologia foi selado na solenidade de abertura do II Paraná Orgânico, que está sendo realizado no Centro Paranaense de Agroecologia, no Parque Newton Freire Maia, em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba.

O II Paraná Orgânico segue até amanhã, quando está prevista a visita de cerca de 2.500 pessoas entre produtores, estudantes e consumidores que vão conhecer as novas práticas e produtos orgânicos que estão sendo colocados no mercado. No domingo, também estão previstas muitas atrações para o público urbano que deseja aderir ao consumo responsável de alimentos orgânicos.

Segundo Pessuti, o governo do Estado aponta a agroecologia e a produção orgânica como práticas econômicas para o fortalecimento do desenvolvimento sustentável, para o meio ambiente, e de maior geração de renda para o pequeno agricultor familiar. ?Esse nicho de mercado está em intenso crescimento. Também representa uma garantia de uma vida saudável e qualidade de vida para as pessoas que consomem os produtos orgânicos?, disse.

Para o governador em exercício, a intenção do governo do Paraná se consolidou na criação do Centro de Referência em Agroecologia, autarquia da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento. O centro funciona numa área de quase 1 mil hectares na região de preservação ambiental da bacia do Rio Irai, em Pinhais. Na localidade, técnicos e pesquisadores fazem seus experimentos em agroecologia para depois transmitir os resultados aos agricultores familiares, que decidem se querem aderir a essa prática.

Segundo o secretário da Agricultura, Newton Pohl Ribas, o Centro de Referência em Agroecologia, que está sediando o II Paraná Orgânico, foi totalmente reconvertido para a prática da agricultura orgânica e está se consolidando como um local para a prática de pesquisas, em atendimento à linha estabelecida pelo governo do Estado. Ele destacou que o desafio agora é vencer os gargalos da comercialização, da certificação e da pesquisa agronômica.