O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, previu nesta quinta-feira que a atividade econômica da zona do euro deve se estabilizar e se recuperar ao longo do ano, embora a um ritmo contido.

No discurso introdutório da coletiva de imprensa que se seguiu à decisão do BCE de manter sua taxa básica de juros inalterada em 0,5%, Draghi citou que o Produto Interno Bruto (PIB) real do bloco teve queda de 0,3% no primeiro trimestre, após recuar 0,6% no último trimestre do ano passado, e que as condições do mercado de trabalho local continuam fracas.

“Eventos recentes em indicadores cíclicos, particularmente aqueles baseados em dados de pesquisa, indicam alguma melhora adicional a partir de níveis baixos”, disse Draghi.

Draghi também previu que o crescimento das exportações da zona do euro deve se beneficiar de uma recuperação gradual da demanda mundial neste e no próximo ano, e que a demanda doméstica deve ser sustentada pela política acomodatícia do BCE e por recentes ganhos na renda real graças à queda da inflação.

Além disso, Draghi acredita que a melhora geral vista nos mercados financeiros desde meados do ano passado deve chegar à economia real, assim como o progresso feito na consolidação fiscal. “Dito isso, os ajustes ainda necessários no balanço patrimonial vão continuar pesando na atividade econômica”, afirmou.