A China voltou hoje a criticar as políticas de incentivo à economia tomadas pelos Estados Unidos, dizendo que o governo norte-americano não está cumprindo suas responsabilidades como emissor de uma moeda de reserva global. “Nós sentimos que o fato de os EUA implementarem uma segunda rodada de afrouxamento quantitativo neste momento é não reconhecer a responsabilidade que deveria ter como emissor de moeda de reserva e não levar em conta o efeito dessa liquidez excessiva nas economias emergentes”, afirmou o vice-ministro de Finanças chinês, Zhu Guangyao.

Segundo ele, o afrouxamento quantitativo do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) terá um impacto desestabilizador sobre as economias emergentes por causa dos fluxos de capital que irão para os mercados de ações e outros investimentos de curto prazo desses países.

A primeira rodada de estímulos do Fed ocorreu “no auge da crise financeira”, quando os mercados de capital estavam sem liquidez, comentou Zhu. Mas atualmente “os mercados financeiros não estão com falta de liquidez. Em vez disso, eles sofrem com a falta de confiança na economia global”.

“As instituições financeiras têm grandes montantes de dinheiro”, afirmou Zhu. “É sob essas circunstâncias que o Fed está implementando uma segunda rodada de afrouxamento quantitativo. Portanto, é por isso que eles estão sendo questionados por tantos países”, acrescentou. As informações são da Dow Jones.