Puxado por um único dia de forte ingresso de dólares, o fluxo cambial em julho até o último dia 15 deu um salto e está positivo em US$ 10,132 bilhões, de acordo com dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC). O resultado parcial deste mês faz lembrar o desempenho do primeiro trimestre do ano, quando o fluxo apresentou saldos muito acima do normal.

Segundo o BC, o segmento financeiro registra no mês superávit de US$ 6,887 bilhões, resultado de entradas de US$ 22,088 bilhões e saídas de US$ 15,200 bilhões. No comercial, o saldo no mês até o dia 15 de julho é positivo em US$ 3,245 bilhões, com exportações de US$ 11,374 bilhões e importações de US$ 8,129 bilhões.

O crescimento expressivo do fluxo cambial para o País em julho ocorreu basicamente na semana passada, quando as entradas de divisas superaram as saídas em US$ 8,610 bilhões. O grande destaque foi o dia 11 de julho, que teve saldo líquido positivo de US$ 7,358 bilhões, puxado por um superávit no segmento financeiro de US$ 6,671 bilhões. O comercial nesse dia teve saldo positivo de US$ 687 milhões.

Na semana passada, o fluxo financeiro teve superávit de US$ 6,571 bilhões, com entradas de US$ 14,187 bilhões e saídas de US$ 7,616 bilhões. No comercial, as exportações (que somaram US$ 5,886 bilhões) superaram as importações (de US$ 3,846 bilhões) em um total de US$ 2,040 bilhões.

O BC informou que as compras de dólares no mercado à vista elevaram as reservas até 15 de julho em US$ 2,484 bilhões, sendo US$ 899 milhões na semana passada. A autoridade monetária também informou que até a última sexta-feira o saldo de recolhimento compulsório sobre posição vendida dos bancos em câmbio era de US$ 42 milhões.