A Organização dos Estados Americanos (OEA) fará nesta segunda-feira (30) em Washington uma reunião especial a pedido da Argentina para discutir a reestruturação da dívida do país, de acordo com um comunicado enviado neste domingo.

O encontro começa às 11h (de Brasília) em Washington e deve contar com a participação do ministro da Economia da Argentina, Axel Kicillof, e o ministro das Relações Exteriores do país, Héctor Timerman. A reunião tem como tema “Reestruturação da dívida soberana: o caso da Argentina e suas consequências sistêmicas”. Uma nova reunião pode ocorrer também na OEA na próxima quinta-feira (3), dependendo da decisão da plenária amanhã.

Nesta segunda, vence o prazo para a Argentina pagar US$ 1,5 bilhão a fundos dos Estados Unidos que não aderiram à reestruturação proposta em 2005 e 2010, os chamados “holdouts”. Caso não faça o pagamento, o país tem um prazo de carência de mais 30 dias.

É o segundo evento em um fórum internacional que Kicillof e Timerman falam sobre o assunto em menos de uma semana. Na última quinta-feira, o ministro da Economia fez uma apresentação nas Nações Unidas, em uma plenária do grupo 77 + China, formado por países em desenvolvimento. No encontro, os representantes desses países deram apoio formal à Argentina e decidiram mandar uma carta ao juiz Thomas Griesa, que cuida do caso e decidiu no último dia 16 que o país deve pagar os “holdouts”.

Em sua apresentação na ONU, Kicillof afirmou que a decisão de Griesa “empurra” a Argentina para um default e para uma crise econômica. Ele destacou em diversos momentos que a reestruturação da dívida do país foi bem-sucedida, pois teve adesão de 93% dos credores.