A Petrobras anunciou que o navio-plataforma P-63 saiu nesta sexta-feira, 23, da locação provisória, na Ilha de Santana, em Macaé (RJ). De acordo com o comunicado, o deslocamento ocorreu após serem concluídas, “rigorosamente dentro do prazo previsto”, as obras complementares decorrentes da alteração do leiaute submarino dos poços, realizada para que fossem atendidas as condicionantes do processo de licenciamento ambiental.

Ainda segundo a nota da Petrobras, a P-63, com início de produção previsto para 23 de outubro, está entre as unidades que entrarão em operação em 2013, “contribuindo para o aumento da produção de petróleo da companhia e o alcance das metas de produção previstas no Plano de Negócios e Gestão 2013-2017”.

A estatal afirmou também que, com capacidade para processar 140 mil barris por dia de petróleo e comprimir 1 milhão de m³/dia de gás, a unidade segue viagem com o apoio de rebocadores para a locação definitiva no Campo de Papa-Terra, no pós-sal da Bacia de Campos, operado pela Petrobras (62,5%) em parceria com a Chevron (37,5%).

A P-63 foi convertida num FPSO (Floating Production Storage Offloading) a partir do navio-tanque BW Nisa, no Estaleiro Cosco, na China – as últimas etapas de construção foram realizadas no Canteiro da QUIP/Honório Bicalho, localizado em Rio Grande (RS). Conforme a empresa, os serviços foram executados pelo consórcio formado pela Quip (Queiroz Galvão, UTC, Iesa e Camargo Correa) e a BW Offshore e empregaram cerca de 1.500 trabalhadores no pico das obras.