O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, divulgará hoje seu plano para gastar pelo menos US$ 50 bilhões para expandir e renovar estradas, ferrovias e aeroportos dos Estados Unidos. Trata-se de mais uma iniciativa do governo dos EUA para superar a lenta retomada do crescimento econômico no país. Sob forte pressão por causa da eleição parlamentar de novembro, na qual seu Partido Democrata pode sofrer duras perdas, Obama deve fazer o anúncio do plano em Wisconsin, disse um funcionário do governo pedindo anonimato.

O evento para marcar o Dia do Trabalho, data tradicional para o início das campanhas eleitorais nos EUA, abre uma semana durante a qual Obama deve viajar para outro Estado do Meio-Oeste, Ohio, onde realiza entrevista coletiva à imprensa em outra iniciativa para reforçar sua posição política.

Um funcionário da Casa Branca, também pedindo anonimato, disse que o “arrojado” plano de infraestrutura será concentrado, tendo investimentos significativos em seu primeiro ano, na tentativa de estimular a enfraquecida economia e gerar mais empregos. Parece improvável, porém, que Obama consiga aprovar esse plano no Congresso antes das eleições de novembro no Legislativo. O oposicionista Partido Republicano afirma que o plano de estímulo de Obama de US$ 814 bilhões foi um fracasso. A sigla deve também qualificar a nova proposta como mais um exemplo de como o governo esbanja o dinheiro do contribuinte, para obter pouco efeito benéfico.

Na quarta-feira, Obama deve divulgar outro ponto de sua revisada estratégia econômica, uma série de isenções de impostos para pequenos negócios no valor de US$ 100 bilhões. O funcionário do governo disse que o plano de Obama prevê o gasto em pouco tempo de US$ 50 bilhões, para estimular rapidamente a criação de empregos. A administração trabalharia com o Congresso para definir os gastos em outras áreas, para garantir que o plano não aumente mais o déficit orçamentário, disse essa fonte.

O plano também busca garantir melhorias para o sistema de controle de tráfego aéreo dos EUA e acelerar os projetos de ferrovias para trens de alta velocidade, além de estabelecer um Banco de Infraestrutura para coordenar o financiamento federal e o planejamento para projetos no setor.

Os críticos afirmam há anos que o sistema ferroviário dos EUA está piorando e sofre com a falta de investimentos. Por isso, Obama enfocará projetos de modernização que possam colocar trabalhadores desempregados rapidamente na ativa, para atuar na espinha dorsal do transporte dos EUA.

O funcionário da Casa Branca disse que Obama deve propor um grande novo investimento em ferrovias e no sistema de tráfego, incluindo a melhoria na envelhecida frota ferroviária da Amtrak, a estatal federal de transporte ferroviário de passageiros. O plano também prevê melhorias na tecnologia usada no requisitado sistema de controle de tráfego aéreo dos EUA, incluindo o uso de vigilância por satélite, o que poderia reduzir os atrasos em voos. As informações são da Dow Jones.