São Paulo

– O início da produção em série dos jatos Embraer 170, cujo preço de lista é de US$ 25 milhões, mais caros que os modelos ERJ 145, de US$ 20 milhões, foi um dos principais responsáveis pelo recorde de vendas de toda a história da Embraer no segundo trimestre deste ano. Com 43 aeronaves entregues entre abril e junho, das quais 15 Embraer 170, de 70 lugares, a empresa faturou US$ 3 bilhões, 83,9% mais do que no mesmo trimestre de 2003, e lucrou R$ 382,1 milhões, quase vintre vezes mais do que os R$ 21 milhões do mesmo período de 2003. A Embraer fechou a primeira metade do ano com 66 aviões entregues a clientes. “Além do aumento do caixa com o maior número de entregas, o resultado da empresa foi favorecido também pela valorização de 6,8% do dólar frente ao real, que nos permitiu reduzir despesas e deu mais equilíbrio às contas em dólar”, disse o diretor-executivo de Relações com o Mercado, Antônio Luiz Pizarro Manso. A Embraer mantém sua previsão de entragas de 160 aeronaves para este ano, e de 170 em 2005. Se confirmada a previsão, até dezembro 56 Embraer 170 serão entregues. A nova familia 170/190 inclui jatos com capacidade de 70 a 110 passageiros e destina-se a um dos segmentos que mais crescem no mercado mundial de aviação civil.