Uma nova marca de motocicletas está avançando, aos poucos, no Paraná. Trata-se da chinesa Shineray, introduzida no Brasil pelo Nordeste em 2005, e que já conta com 54 revendas no País.

A empresa, que tem duas revendedoras no Estado -uma em Londrina e outra em Arapongas – apresentou, ontem, em Curitiba, os seus produtos e divulgou um pouco de suas estratégias para o mercado paranaense. Até o final deste ano, a companhia pretende inaugurar uma loja em Maringá e, no início do próximo ano, mais quatro lojas na Grande Curitiba.

De acordo com o assessor de comunicação da empresa, André Lubambo, o grande diferencial da marca é apresentar um design arrojado, a preços bastante acessíveis. Outra vantagem é a compatibilidade das peças com as de outras marcas, principalmente as também de origem chinesa.

Os valores das motos vão até R$ 13.990 e a variedade de modelos é grande. Há, entre os 16 produtos da empresa, até triciclos e quadriciclos, estes ideais para a praia, e com preços a partir de R$ 7.990.

Chuniti Kawamura
André: “Sem concorrência”.

O “carro-chefe” da marca no Nordeste é uma motoneta de 50 cilindradas – a mais barata -, cujo preço é R$ 2.790. Porém, a empresa avalia que o mercado de Curitiba deve ter um perfil diferente, mais próximo de São Paulo, onde as vendas da pequena moto são pouco expressivas.

O foco, aqui, deverá ser nas motocicletas de maior porte, com motores de 150 a 250 cilindradas e design mais esportivo. “Não concorremos com as marcas maiores”, explica Lubambo.

As motocicletas da Shineray chegam ao Brasil pelo Porto de Suape, na cidade de Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, onde também são montadas. Atualmente, a marca vende cerca de 2 mil unidades por mês. Mas as metas da empresa são ousadas: a previsão é de que, até 2010, esteja comercializando entre 70 e 80 mil motocicletas por ano.

Os empresários que trouxeram a marca ao Brasil, ligados à distribuidora de combustíveis Total, pretendem chegar ao número de 70 revendas no País até o fim do ano, e 90 já nos primeiros meses de 2009.

Segundo Lubambo, a política da empresa é de não abrir revendas próprias, mas concessionárias, sempre exclusivas da marca. Ele calcula que o investimento inicial para uma loja gire em torno de R$ 150 mil a R$ 250 mil. No Paraná, a Shineray está interessada, por enquanto, em ter revendedores em cidades no norte e noroeste, como Cianorte, Cambé, Apucarana e Paranavaí.