A primeira ação do movimento “Crise se combate com Emprego”, organizado pela Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Promoção Social, superou a expectativa dos organizadores. O Mutirão do Emprego, realizado nesta terça-feira (11), na Agência do Trabalhador de Curitiba, ofereceu 748 vagas para contratação imediata, das quais 715 foram preenchidas. Para o secretário Nelson Garcia, o índice de 95% de aproveitamento mostra que muitos setores da economia não foram atingidos pela crise financeira mundial e devem manter o bom ritmo de contratações.

“Apesar do momento de turbulência e das notícias pessimistas que lemos diariamente nos jornais, provamos que existem ramos de atividades que estão empregando. Os setores de comércio, serviço, alimentação e supermercados precisam de mão-de-obra com urgência e devem oferecer boas oportunidades durante este período que a indústria apresenta dificuldades”, analisou.

Segundo Garcia, nas próximas semanas, outras cidades do Paraná também devem realizar eventos semelhantes. “Mas primeiro é preciso levantar as necessidades da economia local e a capacidade de atendimento de cada cidade”, afirmou.

Participação

De acordo com a gerente da Agência de Curitiba, Elaine Ribeiro, mais de 2.500 pessoas participaram do evento. “Distribuímos, no total, 2.502 senhas para o mutirão. Em menos de uma hora a ação reuniu 1.800 candidatos e uma das empresas participantes preencheu todas as vagas disponíveis neste pequeno intervalo de tempo”, conta.

Samira Farina, desempregada há cinco meses, garantiu uma colocação como atendente de lanchonete e começa no novo serviço na semana de carnaval. “Vou passar o feriado muito feliz. É bom saber que agora vou ter carteira assinada, porque antes trabalhava como informal e quando fui demitida não tive direito ao seguro-desemprego. Agora vai ser bem melhor e eu estou bastante animada”, comemorou.

Gustavo Silva, que nunca trabalhou, aproveitou que as vagas não exigiam experiência para se candidatar ao cargo de repositor em um supermercado. “A gente nem sempre tem oportunidade. Eu quero ajudar na minha casa e só preciso de uma chance”, disse, ainda na fila para a entrevista de admissão.

As irmãs Mara e Eliane Oliveira Alves foram juntas ao Sine pelas vagas no comércio. Selecionadas, elas farão teste na loja antes de assinarem os documentos contratuais. “Agora vamos mostrar muita vontade e nos esforçar”, explicou Eliane. E na possibilidade de só uma conseguir o emprego, a irmã vai continuar na busca, enquanto a outra ajuda com o novo salário”, brincou Maiara.