Em 2004, a produção imobiliária em Curitiba recuou 22% de janeiro a outubro, segundo o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscom). Este panorama se deve, entre outras questões, à falta de investimento para o setor habitacional e a diminuição do poder aquisitivo da população brasileira. Mas, para 2005 espera-se uma retomada na construção civil paranaense.

Segundo o diretor da Moro Empreendimentos, Alcir Moro, o clima é de otimismo e a construção civil, mesmo registrando um desempenho ainda menor que o da década passada, já voltou a contratar e a gerar empregos. "O mercado passa por enormes transformações com definições políticas do governo, que criam mecanismos de segurança para as empresas, instituições financeiras e mutuários, através da lei da construção civil. Toda essa retomada faz com que o setor gere cada vez mais empregos", afirma Moro.

Retomada estratégica

As construtoras sentiram as conseqüências dessa queda no mercado e da falta de atenção destinada ao setor por parte do governo. Com o Grupo Moro não foi diferente, a empresa manteve seus projetos em 2004, porém aguardou estrategicamente a retomada do mercado para voltar com força total. "Estrategicamente o Grupo Moro em 2004 decidiu aguardar a retomada do mercado para continuar a crescer, por isso durante o ano a empresa esteve revendo todo o seu planejamento, otimizando seus processos e negociando os prazos necessários para evitar perdas, até que o mercado se organizasse", destaca o presidente da empresa.

Mesmo em um momento em que a economia ainda não está completamente estabilizada, o Grupo Moro investe no mercado e fecha 2004 lançando o primeiro e único prédio giratório do mundo, fruto de quase 10 anos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico. "Este empreendimento é um ícone Moro, uma obra de arte que exigiu longos anos de estudos e pesquisas para que pudéssemos entregar o que há de mais moderno no mundo para o nosso cliente", destaca o sócio-diretor da empresa. Com mais de 1 milhão de metros quadrados construídos nesses 21 anos de atuação, o Grupo Moro irá investir pesado em 2005. Somente no próximo ano, a empresa concluirá 5 grandes empreendimentos e lançará mais 4 em Santa Catarina.