A Moody’s Investors Service rebaixou os ratings dos bônus governamentais em moeda local e em moeda estrangeira do Reino Unido para Aa1, de Aaa. A perspectiva dos ratings agora é estável.

A agência citou três fatores para sua decisão: “a debilidade contínua da perspectiva de crescimento do Reino Unido, com um período de crescimento fraco que a Moody’s agora espera que vai se estender até a segunda metade da década”, “os desafios que as perspectivas fracas de crescimento no médio prazo apresentam para o programa de consolidação fiscal do governo” e “como consequência da carga elevada e crescente da dívida, uma deterioração na capacidade do balanço patrimonial do governo para absorver choques, o que não deverá ser revertido antes de 2016”.

A Moody’s ressalvou que “a qualidade de crédito do Reino Unido permanece extremamente alta, com o rating Aa1”, por causa de fatores como “uma economia altamente competitiva e bem diversificada, um histórico forte de consolidação fiscal e uma estrutura institucional robusta, uma estrutura de dívida favorável e com uma demanda doméstica forte por dívida do governo, com a estrutura de maturação média mais alta (15 anos) entre todos os soberanos de ratings elevados”.