A agência de classificação de risco Moody’s afirmou, em comunicado, que o fato de o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ter anunciado em 25 de agosto o cancelamento de 32 projetos que estavam sob consideração como parcerias público-privadas (PPPs) é negativo para o crédito tanto para o setor de infraestrutura como para o desenvolvimento de PPPs no Brasil.

Na avaliação da Moody’s, independentemente de sua complexidade, as PPPs são uma “alternativa atraente” para os governos estaduais e municipais do País, no desenvolvimento de projetos mais desafiadores com o setor privado.

Os projetos cancelados eram de vários setores, como mobilidade urbana – linhas de metrô, sistemas de ônibus e rodovias -, saúde, educação, moradia e sistema prisional. A Moody’s aponta ainda que as PPPs permitem investimentos em serviços como educação e saúde sem que as administrações violem os limites de pessoal impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal.