A visita de inspeção de representantes da União Européia à estrutura de fiscalização sanitária animal no Paraná foi encerrada nesta sexta-feira (16). Os auditores vieram conhecer os procedimentos adotados pelas Unidades Veterinárias da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab) no Estado.

Antes do Paraná, o grupo passou por Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Ainda nesta sexta-feira (16), a missão técnica seguiu para Brasília, onde fará durante esse final de semana, uma reunião de avaliação sobre o que constatou no Estado.

De acordo com o diretor do Departamento de Fiscalização e Sanidade Agropecuária (Defis) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, Silmar Burer, todos os requisitos solicitados pela missão foram atendidos. A Secretaria apresentou todas as provas documentais solicitadas e atendeu aos questionamentos surgidos durante a auditoria. ?Todas as perguntas foram respondidas, inclusive com a apresentação de documentos?, disse o diretor do Defis.

?Nossa expectativa sobre a avaliação do grupo em relação às condições sanitárias do Paraná é positiva. Esperamos ser bem sucedidos nessa auditoria e, junto com os outros Estados do Circuito Pecuário Centro-Oeste, reconquistar o status de área livre da febre aftosa?, ressaltou Silmar Burer.

No Paraná, a visita durou dois dias, quinta e sexta-feira (15 e 16). Inicialmente a missão passou pelo posto de fiscalização da Secretaria em Guaíra, divisa com o Mato Grosso do Sul. Em seguida, foram a Londrina, onde visitaram duas propriedades, uma com certificação do Sistema Brasileiro de Certificação de Origem Bovina e Bubalina (Sisbov) e outra sem a certificação.

Em Londrina, a missão visitou a Unidade Veterinária do município, onde os auditores foram informados sobre os procedimentos adotados no Estado no controle sanitário animal.

O último compromisso da Missão ao Paraná foi numa casa de comércio de produtos veterinários, também em Londrina, que vende vacina contra a febre aftosa.

A missão técnica estava composta de dois auditores, um de Portugal e outro da Itália, acompanhados de um especialista em virologia, da Suécia. Eles estavam acompanhados pelo coordenador Nacional de Febre Aftosa do Ministério da Agricultura, Newton Moraes, pelo diretor do Departamento de Fiscalização e Sanidade Agropecuária da Seab, Silmar Burer, pelo chefe da Divisão de Sanidade Animal, Marco Antonio Teixeira Pinto, e pelos técnicos responsáveis pelas unidades visitadas.