O ministro das Finanças de Portugal, Fernando Teixeira dos Santos, declarou hoje que o mais recente leilão de títulos do país foi um sucesso. Ele destacou que a forte demanda e os custos para tomada de empréstimos mais baixos confirmam que Portugal está seguindo a estratégia correta. Santos disse ainda que Portugal não precisa da ajuda financeira externa.

“As duas ofertas (de bônus) foram claramente um sucesso. O leilão foi bem sucedido porque a procura triplicou, o que é um recorde nos últimos tempos”, acrescentou Santos. Os yields (retornos ao investidor) foram “claramente” mais baixos que no mercado secundário, com o yield do bônus de dez anos menor que a taxa estipulada no leilão anterior, de acordo com o ministro. Santos destacou que cerca de 80% da demanda pelos papeis veio de investidores estrangeiros.

O leilão foi o primeiro realizado por Portugal neste ano. O país ofertou de 750 milhões a 1,25 bilhão de euros em bônus com vencimento em outubro de 2014, com cupom (juro nominal) de 3,60%, e bônus com vencimento em junho de 2020, com cupom (juro nominal) de 4,80%. As informações são da Dow Jones.