O ministro das Finanças do Japão, Hirohisa Fujii, subiu o tom de suas advertências contra a disparada do iene, dizendo que a alta da moeda para a maior cotação dos últimos 14 anos ante o dólar é “unilateral” e ameaçou intervir se a ascensão rápida continuar. “Não há dúvida de que (a recente valorização do iene) é unilateral”, afirmou Hirohisa Fujii. “Se este tipo de situação se sustentar, acho que seria algo anormal”, declarou o ministro. “É possível que adotemos medidas sob tais condições.”

Antes das declarações de Fujii, no começo do dia de hoje o dólar caiu para 84,82 ienes, a menor cotação desde 7 de julho de 1995, enquanto os investidores acumulavam ienes, tendo em vista que a moeda japonesa oferece o porto mais seguro, em meio à queda das ações asiáticas e as preocupações com a exposição dos bancos globais à dívida de Dubai.

Outros membros do alto escalão do governo japonês ecoaram a preocupação de Fujii com o perigo que a valorização descontrolada do iene representa para a economia. O vice-primeiro-ministro, Naoto Kan, disse que o governo está pronto para implementar medidas adicionais de estímulo para limitar os danos causados pela alta da moeda local.

Kan, que há uma semana declarou oficialmente a volta da deflação ao país, apressou-se em se alinhar com Fujii em relação à ameaça representada pelo iene forte. “Vou monitorar de perto o impacto e tomar as medidas necessárias para impedir que a economia volte a entrar em recessão”, afirmou. Ele acrescentou que, mais cedo, numa reunião de rotina do Gabinete, os membros do governo discutiram a “pressão recessiva que o iene valorizado impõe sobre a economia”. As informações são da Dow Jones.