A previsão do mercado para a inflação deste ano, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), subiu, pela segunda semana consecutiva, de 3,94% para 3,96% de acordo com o relatório semanal Focus, divulgado esta manhã pelo Banco Central. O documento é elaborado a partir das projeções de indicadores da economia, informadas ao BC por aproximadamente 100 instituições financeiras. Para 2008, a previsão de inflação pelo IPCA manteve-se em 4,1% pela décima semana seguida.

Em relação à taxa básica de juros, a Selic, o mercado prevê que ela encerre o ano em 11,25% ao ano, o que significa que não há expectativa de que o Comitê de Política Monetária (Copom) promova uma redução da taxa este ano. A última reunião do comitê em 2007 acontece entre amanhã e quarta-feira. Segundo estimativas do mercado, a taxa de juros teria novos cortes em 2008, já que a previsão da Selic para o fim do ano que vem que é de 10,25% ao ano.

No mercado de câmbio, o mercado manteve a previsão para o dólar no final deste ano pela terceira semana consecutiva em R$ 1,75. Para o fim de 2008, a projeção para a taxa de câmbio também foi mantida, pela segunda vez seguida, em R$ 1,80.

Nos números referentes ao crescimento da economia brasileira, o mercado financeiro reduziu a projeção de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2007, de 4,71% para 4,7%. Para 2008, a estimativa de crescimento da economia também sofreu redução, passando de 4,33% para 4,3%.

Quanto à balança comercial, a previsão do mercado é de um superávit de US$ 40,55 bilhões em 2007 e saldo positivo de US$ 34,20 bilhões no ano que vem. A projeção para os investimentos estrangeiros diretos (IED) em 2007 permaneceu em US$ 33 bilhões este ano e foi mantida em US$ 25 bilhões em 2008.