Depois de superar na semana passada o centro da meta definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), a projeção para a inflação de 2008 pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) continuou a subir. No relatório semanal Focus divulgado nesta terça-feira (22) pelo Banco Central, a previsão para o IPCA, que é o índice oficial de inflação no País, passou de 4,66% para 4,71%. O centro da meta é de 4,50%. Para 2009, a projeção do IPCA manteve-se em 4,40% – a meta de inflação de 2009 perseguida pelo BC também é de 4,50%.

A pesquisa Focus reúne as projeções de cerca de 100 instituições financeiras para os principais indicadores econômicos. A previsão para a taxa de câmbio, no final deste ano, ficou em R$ 1,75 por dólar, igual à da semana anterior. Para o final de 2009 a projeção de câmbio está em R$ 1,82 por dólar.

Juros

Para a taxa básica de juros, a Selic, o mercado financeiro não realizou ajuste nas projeções para o fim do ano, apesar da alta de meio ponto porcentual decidida pelo Comitê de Política Monetária (Copom) na semana passada. A estimativa da taxa para o final de 2008 continuou em 12,75% ao ano. A Selic está atualmente em 11,75% ao ano. Para o fim do ano que vem, o mercado vê a Selic em 11,25% ao ano, mesma projeção da semana passada.

PIB

Nos números referentes ao crescimento da economia brasileira, o mercado financeiro reduziu a projeção de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2008 de 4,7% para 4,6%. Para o ano que vem, a previsão de crescimento do PIB é de 4%, estável em relação ao índice previsto na semana passada. Em relação à produção industrial, o mercado elevou a previsão de expansão de 5,4% para 5,5% este ano. A previsão para a produção industrial em 2009 é de aumento de 4,5%.

Contas externas

Quanto à balança comercial brasileira, a previsão dos economistas dos bancos é de um superávit de US$ 25 bilhões em 2008, uma queda em comparação ao saldo de US$ 25,30 bilhões projetado na semana passada. A previsão do superávit comercial de 2009 também caiu, de US$ 19,5 bilhões para US$ 19,36 bilhões.

Para a conta corrente (saldo de todas as transações do País com o exterior), a pesquisa de mercado Focus mostrou novamente aumento da projeção de déficit este ano, de US$ 16 bilhões para US$ 16,5 bilhões. Na semana passada, a projeção havia saltado de US$ 12,1 bilhões para US$ 16 bilhões. A previsão para o saldo da conta corrente em 2009 é de um déficit ainda maior, de US$ 22 bilhões (a projeção da semana passada estava em US$ 20 bilhões).

A previsão para o ingresso de investimento estrangeiro direto (IED) em 2008 permaneceu em US$ 30 bilhões. Para 2009, a projeção do ingresso de recursos externos no País, de investimento direto (produtivo), continuou em US$ 27 bilhões.