Analistas não alteraram a previsão para o comportamento dos juros básicos do País nos próximos meses. Segundo a pesquisa Focus divulgada hoje pelo Banco Central, que antecede a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) prevista para esta semana, a mediana das previsões para o nível da taxa básica de juros, a Selic, no fim de 2009 manteve-se em 9% ao ano, o que indica a previsão de corte de 1,25 ponto porcentual no juro básico até dezembro deste ano. Atualmente, a Selic está em 10,25% ao ano.

 

Na visão dos analistas consultados pelo BC, o Copom deve continuar o processo de desaperto monetário com a redução da Selic para 9,5% na reunião da próxima quarta-feira (dia 10), o que indica redução de 0,75 ponto porcentual. Essa previsão já é repetida há seis semanas. Para o encontro de julho, também foi mantida a previsão de juro a 9% ao ano, o que indica corte de 0,50 ponto porcentual. Depois, a taxa deve permanecer estável até o fim do ano, segundo a pesquisa.

Para 2010, analistas reduziram a previsão para o nível da Selic no fim do ano que vem, de 9,25% para 9,15% anuais.

PIB

Após quatro semanas seguidas de piora das projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2009, o mercado financeiro melhorou a estimativa para a economia brasileira este ano. Segundo a pesquisa Focus, a expectativa de contração da economia melhorou de -0,73% para -0,71%. Para 2010, no entanto, analistas esperam reação do PIB, com expectativa de crescimento de 3,5%.

Na mesma pesquisa, analistas pioraram a expectativa para o comportamento da produção industrial em 2009. A mediana das estimativas de contração do setor piorou de -4,5% para -4,78%, na terceira queda seguida. Para 2010, contudo, o mercado espera retomada da produção industrial, com expansão de 4%, previsão repetida há 16 semanas.

Inflação

O mercado financeiro manteve pela terceira semana consecutiva a estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2009 em 4,33%, segundo a pesquisa Focus. Para 2010, a mediana das previsões para o IPCA foi mantida em 4,3%.

O índice é usado no regime de metas de inflação, cujo centro é de 4,5% este ano e para o ano que vem, com margem de tolerância de dois pontos porcentuais para baixo ou para cima.

Câmbio

O mercado financeiro voltou a reduzir a previsão para o nível do dólar no fim deste ano. Em levantamento realizado com cerca de 80 instituições financeiras, a mediana das previsões para o nível da moeda norte-americana no fim de 2009 caiu de R$ 2,04 para R$ 2. Essa foi a quarta queda seguida da previsão. Para o fim de 2010, a previsão seguiu a mesma trajetória e passou de R$ 2,13 para R$ 2,1.

Contas externas

O mercado financeiro reduziu a previsão de déficit em conta corrente (saldo negativo de todas as transações do País com o exterior) em 2009, de US$ 17,55 bilhões para US$ 17 bilhões, na pesquisa Focus. Para 2010, a previsão de déficit caiu de US$ 22,3 bilhões para US$ 22,1 bilhões.

A previsão de superávit da balança comercial brasileira este ano manteve-se em US$ 20 bilhões. Para 2010, a estimativa de saldo comercial positivo subiu de US$ 15,05 bilhões para US$ 15,7 bilhões.

O mercado não alterou a previsão de ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED). Na pesquisa, a mediana das expectativas para a entrada de recursos externos produtivos em 2009 manteve-se em US$ 23 bilhões e em US$ 25 bilhões para 2010.