O mercado financeiro reduziu levemente a projeção para a inflação tanto em 2011 quanto em 2012, segundo o Boletim Focus, divulgado na manhã de hoje pelo Banco Central (BC). A expectativa para a inflação oficial do País no ano que vem caiu de 5,57% para 5,56%, em um patamar ainda distante do centro da meta de inflação para o período, que é de 4,50%. A meta tem margem de tolerância de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo.

A projeção para a inflação em 2011 também caiu, passando de 6,50% para 6,48%, afastando um pouco do teto da meta de inflação, determinada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). A previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de novembro e de dezembro deste ano permaneceu em 0,50%, para cada mês.

O mercado financeiro também alterou a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2011, de 3,20% para 3,16%, segundo o boletim Focus. Para o ano que vem, a projeção para o crescimento da economia seguiu em 3,50%. A estimativa para o crescimento da produção industrial em 2011 recuou de 1,83% para 1,55%. Para 2012, a projeção para a expansão da indústria cedeu de 4,08% para 3,74%.

Juros e dólar

De acordo com a pesquisa Focus, os analistas mantiveram a previsão para a taxa Selic ao final de 2011 em 11,00% ao ano, o que representa mais um corte na taxa básica de juros da economia brasileira na última reunião deste ano do Comitê de Política Monetária (Copom), no fim deste mês. Já a projeção para a Selic no fechamento de 2012 caiu de 10,50% para 10,0% ao ano, indicando que o processo de afrouxo monetário terá continuidade no ano que vem.

Para o mercado de câmbio, os analistas preveem que o dólar encerre 2011 em R$ 1,75, patamar igual ao estimado para o fim de 2012.

Contas externas

A previsão do mercado financeiro para o déficit em conta corrente neste ano seguiu em US$ 55,00 bilhões. Para 2012, o déficit em conta corrente do balanço de pagamentos estimado caiu de US$ 68,86 bilhões para US$ 68,63 bilhões.

A previsão de superávit comercial em 2011 subiu de US$ 27,00 bilhões para US$ 28 bilhões. Para 2012, a estimativa para o saldo da balança comercial seguiu em US$ 18,90 bilhões. Analistas mantiveram a estimativa de ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) em 2011 em US$ 60,00 bilhões. Para 2012, a previsão passou de US$ 53,00 bilhões para US$ 54,00 bilhões.