O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta segunda-feira (11) que as medidas tomadas pelo BC no câmbio têm caráter "prudencial" e são importantes porque atuam no sentido de diminuir a exposição cambial dos bancos que operam no Brasil. Lembrando que as medidas seguem as regras de Basiléia, Mantega avalia que a decisão do BC "certamente reduz a especulação com dólar".

Sobre o impacto na trajetória da moeda norte-americana ante o real, o ministro evitou fazer prognósticos. "Vamos ver os resultados, mas a tendência é de se estabelecer um limite. Se o banco antes podia fazer operações no mercado futuro de câmbio com até 60% do patrimônio de referência, agora só pode 30%. Isto estabelece um limite para o nível de operações dos bancos nos contratos de venda de dólar futuro", disse Mantega. "A medida é boa porque é prudencial, dá mais segurança, mais estabilidade para o mercado e impede que instituições possam fazer operações de vulto maior e depois não possam dar cobertura a elas", acrescentou.

O ministro disse não ter ficado frustrado com o (pouco) impacto das medidas no mercado de câmbio, argumentando que as medidas têm prazo de 30 dias de adaptação. Embora a redução do limite de exposição já esteja valendo desde esta segunda-feira (11), o restante das medidas têm 30 dias para entrar em vigor. Apesar das medidas, o dólar comercial recuou hoje 0,99%, para R$ 1,9405.