A União Europeia tem de parar de “bater cabeça” e encontrar uma solução forte para suas dívidas. A avaliação foi feita hoje pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante entrevista a jornalistas no Palácio do Planalto após participar de reunião de coordenação política com a presidente Dilma Rousseff. “Os países emergentes estão em situação mais favorável. O Brasil não tem problemas de dívida. A dívida aqui está decrescente”, ressaltou.

Ele aproveitou o momento para enfatizar a importância do fortalecimento da situação fiscal brasileira. Esta seria, segundo ele, um forma de o Brasil se distinguir dos outros países. “O que está faltando lá fora é mercado e o Brasil tem um mercado dinâmico”, disse.

Mantega reforçou que é preciso reverter o ciclo e que um dos riscos maiores para a economia global é a continuação da queda das bolsas. “Está havendo desconfiança dos mercados em relação aos países avançados. Está faltando confiança e liderança”, afirmou.