O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que o aporte de R$ 6 bilhões de capital que será feito na Caixa Econômica Federal (CEF) pelo Tesouro Nacional é necessário para a instituição não ficar excessivamente alavancada, diante do crescimento da oferta de crédito do banco. Segundo ele, a Caixa deve fechar o ano com cerca de R$ 40 bilhões em empréstimos imobiliários, tendo já emprestado cerca de R$ 30 bilhões. O ministro disse ainda que o aporte de recursos na Caixa não é “oneroso” para o Tesouro, pois o banco vai devolver os recursos para o órgão no futuro.

Ele negou que o Banco do Brasil (BB) terá uma capitalização, lembrando que, recentemente, a instituição ganhou a possibilidade de aumentar a participação de capital estrangeiro no banco, o que permite ao BB captar recursos.