O ministro da Fazenda avaliou que apesar da continuação das turbulências dos mercados e vários bancos centrais terem sido obrigados a colocar mais liquidez no sistema, por enquanto, não se pode falar em crise na economia mundial. "Ainda acho que se trata de uma turbulência e redução da alavancagem, que estava muito elevada nos mercados internacionais", afirmou ele, ao chegar ao Ministério da Fazenda.

Segundo Mantega, essas turbulências só vão se tornar uma crise econômica no momento que afetarem a economia real. "Enquanto ficar na esfera financeira, não podemos falar em crise", afirmou ressaltando que as empresas na Europa e nos Estados Unidos, têm apresentado crescimento robusto.

O ministro acrescentou que para se corroborar uma crise seria necessário afetar o nível de comércio internacional. "É prematuro falar em crise. São dois ou três dias de turbulência". Ele também comparou o momento atual com os acontecimentos de maio do ano passado, quando o nervosismo do mercado durou duas semanas e depois se amainou.

Mais uma vez, Mantega se mostrou tranqüilo com a situação brasileira, afirmando que o País está com uma economia bastante sólida para enfrentar as tensões. "A turbulência continua, os bancos centrais estão colocando mais dinheiro e dando liquidez para os bancos com mais dificuldades, mas o Brasil se encontra em condições bastante sólidas", disse.