O porcentual de empresas do total de entrevistadas que esperam crescimento da demanda nos próximos três meses atingiu 24,4% em abril. Era de 20,2% em março, segundo a Fundação Getúlio Vargas. Já a parcela das que preveem redução caiu de 22,9% em março para 17,3% em abril. Enquanto isso, o indicador de tendência dos negócios avançou 4,0% neste mês. A combinação desses resultados levou o Índice de Expectativas (IE-S) a subir 7,0%.

Já a suave melhora do Índice de Situação Atual (ISA-S), com alta de 0,2% em abril ante março, foi determinada pelo aumento de 4,4% no indicador de situação corrente dos negócios. O indicador de volume de demanda atual, porém, cedeu 4,5% no mesmo período.

A perspectiva mais favorável para a demanda somada à avaliação de que os negócios também tendem a melhorar empurraram a confiança do setor de serviços para cima em abril. De acordo com a FGV, estes quesitos determinaram a melhora das expectativas neste mês e, consequentemente, a alta de 4,2% no Índice de Confiança de Serviços (ICS), na comparação com março.