Brasília (AG) – Em telefonema ontem ao presidente dos Estados Unidos, George Bush, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu que os representantes norte-americanos no Fundo Monetário Internacional apóiem as propostas, feitas pelo Brasil, de alteração na sistemática de acordos preventivos do FMI com os países da América Latina e de melhora na maneira como os investimentos públicos em infra-estrutura são contabilizados nesses países. Pela proposta, esses investimentos produtivos não devem ser contabilizados como gastos. A informação foi dada pelo porta-voz da Presidência da República, André Singer.

Na conversa, segundo Singer, o presidente Lula expressou a necessidade de um aumento de investimentos em infra-estrutura na América Latina. O pedido feito por Lula faz parte de uma campanha que o presidente começou a fazer ontem. Ele falou com o primeiro-ministro espanhol José Maria Aznar e pretende telefonar para o presidente da França, Jacques Chirac, e os primeiros-ministros da Alemanha, Gerard Schröder, e do Reino Unido, Tony Blair. A iniciativa do telefonema foi do presidente Lula e Bush prometeu estudar o assunto e responder em breve.

O porta-voz informou também que Lula se reuniu com os presidentes do Banco do Brasil, Cassio Casseb, da Caixa Econômica Federal, Jorge Matoso, e da Petrobras, José Eduardo Dutra, para que eles estudem maneiras de retirar os entraves e acelerar os investimentos em infra-estrutura. A decisão é uma tentativa do governo de responder ao resultado do Produto Interno Bruto no ano passado, que caiu 0,2% em 2003.