O pré-candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, acusou o governo de estar contribuindo para o ?terrorismo? do mercado nas últimas semanas. Segundo disse Lula a empresários na Federação das Indústrias do Rio de Janei ro (Firjan), os discursos do candidato do PSDB, José Serra e do presidente Fernando Henrique Cardoso, na convenção tucana, de sábado passado, foram feitos ?com mais irresponsabilidade do que o cargo de presidente permite?. Lula se referiu, segundo ele, a vinculações feitas por Serra e FHC entre as situações do Brasil e da Argentina. ?O Brasil não pode continuar votando com medo?  disse Lula.

Segundo o petista, os problemas do mercado são resultado da fragilidade da economia do País e não das pesquisas eleitorais. Ele disse que logo após o atual governo assumir o segundo mandato, em janeiro de 1999, houve fuga em massa de dólares do País. ?Isso mostra que esse não é um problema eleitoral mas que a economia está fragilizada?. Lula alertou que o governo poderá ser a vítima deste ?terrorismo? no mercado. ?Se alguém dentro do governo resolveu brincar com crise econômica criando pânico no mercado de um País vulnerável economicamente, errou na brincadeira. Até 31 de dezembro deste ano o presidente e a equipe econôm ica estarão no governo e vão ter que agir com responsabilidade para não causar pânico.  Na avaliação de Lula, o que está ocorrendo é um discurso orquestrado do governo e ele, ?ao invés de ficar bravo, tem chamado a atenção que não se brinca com coisa séria?.  Lula criticou a expectativa dos especuladores do mercado em relação às eleições brasileiras. ?É importante que essa gente se posicione politicamente, pois assim ficamos sabendo quem é o seu candidato no Brasil. Estou preocupado com os que querem investir e gerar emprego no País?.