O vice-presidente executivo e de Relações com Investidores da Light, Ronnie Vaz Moreira, disse hoje que a adesão ao Programa de Recuperação Fiscal (Refis), do governo federal, trará um ganho de R$ 90 milhões aos resultados da companhia. “Nós incluímos no Refis causas judiciais que somavam R$ 713 milhões, que estavam provisionadas”, afirmou o executivo, que participou hoje de evento promovido pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimentos do Mercado de Capitais de São Paulo (Apimec-SP).

Deste montante, R$ 320 milhões serão pagos ao governo federal ao longo de 15 anos, atrelado à Selic (a taxa básica de juros da economia), hoje em 8,75% ao ano. Do saldo restante, o executivo revelou que R$ 260 milhões serão amortizados por meio da utilização de créditos fiscais acumulados quando a companhia registrou prejuízo. “As regras do Refis permitem que os juros e as multas sejam pagos com esses créditos”, explicou.

Vaz Moreira disse ainda que, pelo fato de a Light ter aderido ao Refis, a companhia teve um pequeno desconto no saldo devedor junto ao governo federal. Com isso, a empresa poderá reverter uma parte dos recursos provisionados em seu balanço para estas contingências, gerando um ganho de R$ 90 milhões em seus resultados. A companhia concluiu ontem o processo de adesão ao Refis.